Arquivo da categoria: news

Faça parte do movimento que quer mudar o Brasil! Saiba como aqui.

Na última semana, alguns protestos isolados contra elevações nas tarifas do transporte público em algumas cidades brasileiras tomaram proporções inesperadas. A interpretação deturpada por parte da grande mídia e a reação desproporcional por parte das forças policiais inflamaram a indignação com o descaso do governo com a população.

Pipocaram nas redes sociais mensagens indignadas com a qualidade dos serviços oferecidos à população, à despeito dos altos níveis de impostos pagos por todos os brasileiros. Falamos sobre isto neste post.

Neste sábado, na abertura da Copa das Confederações, milhares de espectadores indignados vaiaram a Presidente da República, Dilma Rousseff, como você pode conferir no vídeo abaixo. A queda de oito pontos percentuais na popularidade de Dilma, nos números divulgados pelo Datafolha no dia 9/jun, deve se intensificar na próxima medição.

Se você também está indignado com o descaso do governo com a população, chegou a sua vez de participar. Não, você não precisa ir para as ruas e tomar tiro de bala de borracha.

Foi criado um evento no facebook que permite que você proteste sem sair de casa. Coloque um lençol branco em sua janela, tire uma foto e poste-a em seu mural com a hashtag #vemprajanela. Mantenha o lençol nesta segunda-feira.

Já são quase 70 mil participações confirmadas – junte-se ao movimento e participe também. Vem pra janela!

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Notícia triste: Das 50 cidades mais violentas do mundo, 15 estão no Brasil

Se você mora em qualquer grande cidade no Brasil, a vigilância é constante. Dificilmente alguém sai de casa com roupas caras e acessórios chamativos sem se preocupar o tempo todo. E isso se traduziu nessa triste estatística, divulgada pela ONG mexicana Conselho Cidadão Para a Segurança Pública e Justiça Penal. Das 50 cidades mais violentas do mundo, 15 estão no Brasil. Dentre as 30 primeiras, temos dez representantes. Devemos nos orgulhar ou envergonhar?

Segundo o ranking (que leva em conta a taxa de homicídios por habitante em cidades com mais de 300 mil habitantes), a cidade mais violenta do mundo é San Pedro Sula, em Honduras (repetindo o péssimo primeiro lugar de 2012). Das cidades brasileiras, Maceió é a mais violenta, ocupando a 6a posição no ranking global. Ainda que um péssimo resultado, Maceió caiu três posições em relação ao índice anterior. A publicação completa pode ser lida aqui.

As cidades do Norte e Nordeste se destacaram negativamente. No Sul, apenas uma cidade está entre as 50 mais violentas do mundo. De forma surpreendente, São Paulo e Rio de Janeiro não estão na lista.

Depois de Maceió, figuram João Pessoa (10.), Manaus (11.), Fortaleza (13.), Salvador (14.), Vitória (16.), São Luís (23.), Belém (26.), Cuiabá (28.), Recife (30.), Goiânia (34.), Curitiba (42.), Macapá (45.), Belo Horizonte (48.) e Brasília (49.).

Você acha que as cidades brasileiras são violentas demais?

O que deve ser feito para reduzir essas estatísticas?

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Em protesto chocante, produtores rurais despejam carcaças de animais mortos em frente a agência do Banco do Nordeste

A população brasileira é criativa também para protestar, e um grupo de produtores rurais do interior da Paraíba criticou a ação do Banco do Nordeste despejando diversas carcaças de animais mortos em frente à agência de Campina Grande.

Do G1:

Dezenas de carcaças de animais mortos devido ao período de estiagem que afeta a Paraíba foram expostas, na manhã desta segunda-feira (22), em frente ao Banco do Nordeste em Campina Grande. Os manifestantes solicitam ao Governo Federal o perdão das dívidas de 111 mil pequenos agricultores que sofrem com os efeitos das secas que atingiram o estado desde 1995.

Segundo o Banco do Nordeste, os empréstimos vêm sendo renegociados conforme determinações legais do governo. “Para o período 2012-2014, foi concedido 80% de desconto nas dívidas dos produtores rurais”, disse o superintendente executivo do banco, Keke Rosberg.

Os manifestantes se reuniram por volta das 6h, em frente ao prédio localizado no cruzamento das ruas João Suassuna e 7 de Setembro. As entradas foram obstruídas e o funcionamento da agência foi impedido. Os agricultores interditaram parcialmente o trânsito na área do banco, utilizando carro de som e faixas com protestos e reivindicações contra o Governo Federal e Banco do Nordeste.

Este é o terceiro protesto do tipo realizado nos últimos cinco meses pela Associação dos Muturários do Crédito Rural (Amcre) da Paraíba, como os que aconteceram emGuarabira e João Pessoa. “Queremos o perdão da dívida dos pequenos agricultores. O banco não nos atende e resolvemos realizar esses protestos de forma pacífica para mostrar nossa situação. Planejamos ir ao Banco Central em Recife-PE, para pedir uma fiscalização no Banco do Nordeste”, disse o presidente da associação, Jair Pereira Guimarães.

Segundo a superintendência estadual do banco, é possível que novos benefícios sejam concedidos. “Eles solicitam melhores condições de convivência com a seca. Nós ampliamos as condições diferenciadas das linhas de crédito existentes e renegociamos as dívidas com 80% de desconto, conforme determinação da Presidente da República. Acreditamos que eventualmente, caso se prolongue a estiagem, novos benefícios serão disponibilizados, apenas vamos seguir fielmente a legislação”, disse o gerente Keke Rosberg.

Mais chocante que a situação é o protesto em si.

Respingos atingem até mesmo a imagem e popularidade da presidente, como a faixa na foto acima comprova.

Você acha que o BN deve perdoar as dívidas dos agricultores em situação tão delicada?

Etiquetado , , , , , , ,

Brasil é um dos piores em inglês, diz estudo

Do you speak english? It seems that if you do, it is not a good english.

Se você não entendeu as frases acima, você contribuiu para as péssimas estatísticas geradas pela EF, uma das mais importantes escolas de idiomas do planeta.

O estudo, realizado entre 2009 e 2011 com quase 1,7 milhão de pessoas de 54 países e territórios, indicou que o nível de inglês do brasileiro não só é um dos piores do planeta, como que ele também piorou nos últimos anos.

Na primeira edição, realizada entre 2007 e 2009, o Brasil ficara em 31° lugar, com uma pontuação de 47,27 (em uma escala de zero a 100). Desta vez, o Brasil ficou em 46°, com 46,86 pontos.

Às vésperas de recebermos os dois maiores eventos do mundo, a Copa do Mundo da FIFA de 2014 e os Jogos Olímpicos, em 2016, o nível de inglès PIOROU ao invés de melhorar. Na América Latina, apenas Guatemala, Colômbia e Panamá apresentam notas inferiores. Ficamos atrás de países como Venezuela, El Salvador e Costa Rica. Decepcionante, não?

Países

Os países europeus dominam as primeiras posições do ranking. Suécia, Dinamarca, Holanda, Finlândia e Noruega (todos nórdicos, diga-se de passagem) ocupam o topo da lista e foram os únicos a terem um inglès reconhecido como de “proficiência muito alta”. O primeiro país não-europeu e que não tem o inglês como língua oficial no ranking foi a Argentina, a frente até da Coreia do Sul, do Japão e da França.

Idade

Em todo o mundo, os jovens profissionais de 25-35 anos possuem os melhores níveis de inglês. Na América Latina, a diferença entre as diferentes faixas etárias não é tão expressiva, mas ainda ocorre. Veja no gráfico.

idade

Gêneros

Mulheres possuem níveis mais elevados, tanto no mundo de forma geral quanto na América Latina.

Setores da economia

Pessoas das áreas de viagens, negócios, consultoria e telecom ainda possuem os níveis mais elevados de inglês. Por outro lado, profissionais do varejo e do setor público têm mais dificuldades na língua.

ind

O estudo também identificou que países com IDH mais elevado ou com maior acesso à internet falam inglês melhor. Alguma surpresa? Apesar disso, os países asiáticos ainda patinam na língua mais importante para negócios internacionais.

Apesar da excelente qualidade do ensino, asiáticos (como os coreanos, na foto) ainda têm dificuldade no inglês

Se quiser acessar o estudo na íntegra, clique neste link. E aí, o que achou dos resultados?

Etiquetado , , , , , , , , , , , , ,

H&M chega ao Brasil em 2014, diz jornalista

É isso mesmo que você ouviu! De acordo com a coluna do jornalista Ancelmo Góis, de “O Globo”, uma das maiores redes varejistas do planeta finalmente chegará ao Brasil no próximo ano!

A H&M é uma multinacional de origem sueca e que tem quase cem mil funcionários em todo o planeta. A empresa tem investido pesado em sua expansão nos últimos anos, passando de 2325 lojas em 2011 para 2629 em agosto do ano passado. É a segunda maior retalhista do planeta, atrás apenas da Zara, que entrou no mercado brasileiro em 1999 e desde então ganhou o coração da classe média.

Após quatro anos estudando o mercado brasileiro, a rede de vestuário sueca H&M finalmente deu os primeiros passos para trazer sua operação ao país.

A varejista está montando um time de executivos, todos vindos da concorrência. Na lista de contratados está um dos homens-chave da Riachuelo, Flávio Amadeu, atual diretor de operações da Guararapes.

Segundo apurou o Brasil Econômico, a Lojas Renner e a C&A também vão perder colaboradores estratégicos para a rede sueca.

O contrato assinado pelos executivos prevê multa de R$ 3 milhões caso sejam divulgados os planos de abertura das primeiras lojas no país, o que deve acontecer no início de 2013.

A entrada da H&M no Brasil pretende acirrar o mercado nacional de fast-shopping. C&A, Riachuelo e Renner têm dificuldades em enfrentar a toda-poderosa Zara na preferência do consumidor mais exigente.

E segundo o jornal “Económico“, de Portugal, a expansão não será apenas por aqui:

A retalhista H&M vai acelerar a abertura de lojas devido à quebra na procura na Europa. Em causa está uma desaceleração nas vendas neste mercado no primeiro trimestre de 2013.

A segunda maior retalhista do mundo tem a maior parte do seu negócio na Europa, onde a crise e o aumento do desemprego tem reduzido o consumo privado, diz a Reuters.

A H&M planeia abrir cerca de 450 novas lojas durante o seu ano fiscal, que compara com as 325 aberturas anteriormente planeadas, estando nos planos a entrada na Austrália no próximo ano.

“O primeiro trimestre foi caracterizado por uma situação muito desafiante no retalho em muitos dos nossos mercados, sobretudo devido ao ambiente macroeconómico difícil e também ao clima desfavorável”, disse Karl Johan Persson, o presidente-executivo da empresa sueca.

As margens brutas entre Dezembro e Fevereiro caíram de 55,8% para 55,2%, face a uma previsão de 55,6% dos analistas da Reuters.

O lucro antes de impostos atingiu as 3,23 mil milhões de coroas suecas (387 milhões de euros), uma quebra de 3,7 mil milhões de coroas suecas. A H&M já tinha relevado que as vendas tinham subido 2%. As vendas de Março foram afectadas pelo mau tempo que se fez sentir na Europa e nos Estados Unidos.

A H&M tem vindo a planear investimentos na loja online e numa nova cadeia de lojas, nomeadamente a recentemente lançada “& Other Stories” para alargar a base de clientes, seguindo o que já fez a Inditex, com a abertura de uma série de cadeias além da Zara.

Pessoalmente, eu aguardo ansiosamente a chegada da H&M no Brasil. Ainda que a qualidade dos produtos não seja tão elevada quanto a de alguns concorrentes, os preços extremamente competitivos e o design diferenciado das peças da marca podem abocanhar um naco relevante do mercado, forçando as demais varejistas a se mexer. Já não era sem tempo.

Etiquetado , , , , , , , , , , , , , , ,