Arquivo da tag: gastos

Aprenda a controlar seus gastos!

Agora que todos já aprenderam a planejar seus gastos de acordo com suas necessidades, chegou a hora de aprender a controlar os seus gastos.

Sim, eu sei que isso não é nada fácil, especialmente quando tudo ao nosso redor nos compele a gastar mais e mais, especialmente com produtos ou serviços não essenciais ao nosso dia a dia.

Novamente, há diversas formas de se controlar os gastos:

1) Uma das mais usadas é anotar TUDO o que se gasta, todos os dias. Esta também é a mais fácil de dar errado. Gastos pequenos tendem a ser esquecidos, especialmente aqueles por impulso, e aos poucos você abandona este método.

2) Uma opção é realizar gastos pequenos apenas em dinheiro, e anotar os saques em caixas automáticos. Estabeleça um limite para estes gastos, e coloque-os como lazer, ou como supérfluos. Mesmo que você sobrestime estas categorias, ao menos você não perderá o controle com facilidade.

3) Há a possibilidade de realizar gastos com supérfluos APENAS no cartão de crédito. Assim, você não precisa anotar no mesmo dia: quando chegar a fatura, você terá o registro de tudo.

4) Por fim, há a maior solução para os preguiçosos, que foi o primeiro método que utilizei para controlar meu dinheiro. Faça uma análise atenta de como está gastando seu dinheiro, e identifique os gargalos. Será apenas uma estimativa, porque você não terá dados, mas tenho certeza que será possível identificar alguns pontos em que está gastando mais do que deve. Quando eu fiz, meu problema era a alimentação fora de casa: restaurantes e lanchonetes. Aí, você anota apenas os gastos nestas áreas, e estabelece limites bem claros, para evitar o descontrole. Você não terá um registro preciso de suas despesas, mas evitará ficar no vermelho.

Para anotar os gastos, alguns apelam para a agenda anual, outros para um caderno, alguns possuem uma planilha no computador pessoal. Todos estes métodos, porém, compelem você a negligenciar a anotação quando está longe. Também, podem se tornar complicados demais.

Para ajudar vocês, criei uma planilha no Google Docs que é simples, prática e objetiva. Para quem ainda não conhece, o Google permite que você tenha acesso a estes documentos em qualquer computador ou até mesmo no seu smartphone. Não terá desculpas para perder o controle, ok?

Não precisa ter medo da planilha, ela é prática e automatiza a maior parte das tarefas. Possui apenas dois passos, e durante todo o mês você precisará se preocupar apenas com um deles. Veja abaixo:

Nesta página, você registra seus gastos. Coloca o dia, a categoria, os detalhes e o valor gasto. Automaticamente, na tabelinha à direita, a soma é feita. No início de cada mês, basta duplicar esta folha, deletar as informações do mês anterior e começar a escrever os novos gastos.

Esta folha é o “briefing”, além do resumo dos gastos. A cada mês, basta copiar a tabelinha da direita da página correspondente e colar aqui. A coluna C tem as metas para aquele mês. Se você ultrapassa em alguma categoria, o texto fica vermelho e denuncia que você passou dos limites! Neste mês, eu teria gasto mais do que gostaria com Vestuário.

E pronto! Simples, não?

O ideal é que todos os dias você registre seus gastos. Parece um esforço grande, mas em um minutinho você fará isto. Não toma tempo algum, e vale muito a pena.

Vamos começar a registrar nossos gastos? Vocês conseguirão acessar a planilha acima através deste link. Dupliquem a planilha, salvem com o nome que preferirem e pronto! É só controlar os gastos.

Espero que vocês tenham gostado deste método e da planilha que construí especialmente para vocês. Qualquer dúvida, perguntem-me. Se tiverem sugestões, é só falar!

Etiquetado , , , , , , , , , ,

Aprenda a se organizar financeiramente agora!

Desde que lancei O Economistinha, um dos temas que mais me pedem para abordar é finanças pessoais.

É possível controlar suas finanças sem grandes dores de cabeça. Vamos nos organizar?

Muitas pessoas não sabem organizar seu próprio dinheiro, e por isto acabam caindo no cheque especial com frequência, ou passam o fim do mês sem dinheiro para nada.

Há diversas formas de se organizar financeiramente, de ter controle de suas próprias finanças. Porém, diversas delas são complexas demais, e as pessoas pouco metódicas (como eu) tendem a abandonar tais métodos rapidamente.

Preparei dois posts (este e mais um, que irá ao ar amanhã) com algumas dicas de como se organizar melhor financeiramente, para evitar gargalos e retomar o controle da sua vida financeira.

Aproveitem que o mês de Abril começa na próxima semana para retomar o controle. Nesta semana, tome algumas medidas como teste, de forma a se organizar, para a partir da próxima você ter total noção de onde (e como) está gastando seu dinheiro.

A lição de casa de vocês para hoje é muito simples, e está no fim deste post.

1) Nunca gaste mais do que você ganha.

Esta pode parecer a dica mais estúpida, de tão óbvia, mas ainda assim MUITAS pessoas perdem o controle. Geralmente, isto está associado a gastos impulsivos (ou não) com cartões de crédito e débito, compras parceladas e contas em débito automático.

A cada mês, a diferença entre o que você ganha e o que você gasta se transforma em poupança (se positiva) ou dívidas (se negativa). Portanto, é sempre melhor tentar fazer com que esta subtração seja positiva.

Para ajudá-lo nesta tarefa, eu preparei uma tabelinha, que você verá a seguir. Antes, porém, você precisa ler a próxima dica.

2) Priorize os gastos.

Veja tudo com o que você costuma gastar, e dê prioridades a cada despesa. Gosto de separá-las em: PRIMORDIAIS, MUITO IMPORTANTES, IMPORTANTES e SUPÉRFLUAS.

Alimentação, por exemplo, é primordial. Mas quanto você gasta para comer a cada dia depende de quanto você pode gastar. (Exemplo: um restaurante mais caro pode ser luxo – e deve ser encarado como lazer).

Habitação também é importante, e uma decisão de longo prazo – você não consegue se mudar de um dia para o outro. Eletricidade, água, gás, etc…

E assim por diante.

Uma forma mais prática de estimar quanto você costuma gastar com cada item é verificar a peridicidade e o gasto individual.

Exemplo: Refeições fora de casa.

Frequência: De 2a a 6a.

Gasto médio: R$15.

Gasto mensal: Aprox 22 dias por mês, R$15 por dia: 22 x 15 = R$330.

3) Programe os pagamentos para quando você tem dinheiro.

Os pagamentos mais importantes, como luz, água, internet, celular, contas de cartões, etc, devem ser programados para quando você tem dinheiro na conta. Se você trabalha e recebe todo dia 5, por exemplo, agende a maior parte dos pagamentos para perto do dia 10. Assim, você evita problemas em caso de possíveis atrasos e não passa o mês desesperado, correndo atrás das suas finanças. O débito automático evita esquecimentos, mas também pode te levar a perder o controle de quanto gastou em cada conta. Pondere e decida se vale a pena!

Portanto, de hoje para amanhã quero que vocês montem uma tabela igual a abaixo, com as expectativas de gastos de vocês em cada área e a receita. Uma economia/poupança de 5% é o mínimo que eu espero de vocês! 😀 E recomendo ao menos 5% de “outros”, que podem incluir aleatoriedades não diretamente relacionadas a nenhuma outra categoria – para imprevistos. Faça a mão, não tem problema. O importante é que o total de gastos seja inferior ao total de receitas!

Na minha classificação, usei estas categorias:

Alimentação: Alimentação fora do domicílio.
Lazer: Festas, bares, cinemas, viagens, etc.
Transporte: Metrô, ônibus, combustível, pedágios e outros gastos de transporte (ex viagens de lazer).
Saúde: Academia, remédios, plano de saúde, etc.
Casa: Supermercado, aluguel, condomínio, contas de água, luz, internet, telefone, reformas, etc.
Educação: Gastos com educação, cursos, material didático, viagens com fins estudantis, etc.
Vestuário: Compras de roupas, calçados, etc.
Outros: Presentes, gastos extras, etc.

Talvez, a alguns, a forma que eu classifiquei não faça sentido. Não tem problema, construa a melhor forma de elencar e classificar os gastos PARA VOCÊ. A intenção é que, ao longo dos meses (após 2 meses já é possível ter uma fotografia interessante) você possa observar se suas estimativas estavam coerentes ou não, readaptá-las e ter o total controle das finanças, ok? Mãos a obra!

Etiquetado , , , , , , , ,