Arquivo da tag: pessoal

Sete dicas para causar uma boa primeira impressão

Ninguém discorda de que é super importante causar uma boa primeira impressão. Mas nem sempre isso é fácil. E por isso prestar atenção a alguns aspectos básicos pode ajudar muito.

Isto vale para todos os aspectos da sua vida: vida pessoal, profissional, amorosa, etc. Saber se situar e se preparar antecipadamente pode evitar gafes.

Por isso, a Forbes Brasil preparou uma lista com cinco dicas para causar uma boa primeira impressão. Vamos a elas?

1) Defina uma intenção

A coisa mais importante a fazer para causar uma boa impressão é deixar clara a sua intenção. É importante fazer isso, por exemplo, antes de qualquer tipo de evento grande no qual você encontrará bastante gente, como conferências. Antes de chegar lá, pense no tipo de pessoas que você deseja encontrar e que tipo de relações quer estabelecer.

2) Pense em como irá se vestir

Roupas, maquiagem, joias, relógios e sapatos são acessórios que as pessoas levam em consideração no julgamento inicial. É recomendável pegar algumas de suas roupas e ornamentos favoritos e perguntar a amigos de confiança o que pensam de suas escolhas. Muitos homens não percebem que seus relógios podem dizer muito sobre eles. O mesmo serve para as mulheres e suas bolsas, brincos grandes e joias.

3) Preste atenção na sua linguagem corporal

A linguagem corporal é o ponto crucial de uma primeira impressão. Tudo importa, desde a sua postura até a forma como curva o corpo. Muitas vezes, apenas ao prestar atenção na linguagem corporal já é possível fazer algumas mudanças para melhor. Tente se gravar andando em uma sala, seu subconsciente lhe dará opiniões sobre como você se porta, a posição dos ombros e como move as mãos, por exemplo.

4) Evite dias ruins

Pessoas que vão a reuniões e coquetéis depois de um dia ruim geralmente continuam a ter um dia ruim. Se você está deprimido ou ansioso, os outros notarão. Por isso, se está tendo um dia ruim, fique em casa ou assista a vídeos divertidos no YouTube antes do evento, talvez melhore.

5) Fique interessado pela conversa

É sempre bom estar realmente interessado em conhecer pessoas e ficar aberto para aprender sobre quem elas são. É fácil notar quando uma pessoa foi arrastada por um amigo e mal pode esperar para ir embora. Quando for conhecer alguém, mostre interesse genuíno nessa pessoa. Isso é contagiante, e suas conversas serão mais agradáveis.

Além dessas dicas da Forbes, eu acho importante destacar mais duas:

6) Cuidado com o álcool – mas não fique abstêmio

Pode parecer besteira ou senso comum, mas prestar atenção a quantidade (e ao tipo) de álcool que se ingere em um evento pode evitar gafes ou garantir uma boa colocação em uma empresa, por exemplo, ou um bom fim de noite em um encontro romântico. Segundo interessante estudo de cientistas americanos, quem bebe tem mais chances de subir na carreira, como você pode ler aqui. Mas se você passar da linha, corre o risco de falar o que não deve… então, conheça os seus limites e aventure-se!

7) Seja franco

Quando conhecer alguém, não esconda os motivos que levantam o seu interesse nela. Se ela descobrir que você tem interesses profissionais por conta própria após um approach pessoal, pode se sentir enganada. E se uma relação é positiva para os dois lados, não há o que temer: uma expressão mais clara sempre poderá acelerar o processo.

 

Acho que com isso você tem grandes chances de ter sucesso. E você, tem algum segredo?

Etiquetado , , , , , , , , , , , ,

Aprenda a se organizar financeiramente agora!

Desde que lancei O Economistinha, um dos temas que mais me pedem para abordar é finanças pessoais.

É possível controlar suas finanças sem grandes dores de cabeça. Vamos nos organizar?

Muitas pessoas não sabem organizar seu próprio dinheiro, e por isto acabam caindo no cheque especial com frequência, ou passam o fim do mês sem dinheiro para nada.

Há diversas formas de se organizar financeiramente, de ter controle de suas próprias finanças. Porém, diversas delas são complexas demais, e as pessoas pouco metódicas (como eu) tendem a abandonar tais métodos rapidamente.

Preparei dois posts (este e mais um, que irá ao ar amanhã) com algumas dicas de como se organizar melhor financeiramente, para evitar gargalos e retomar o controle da sua vida financeira.

Aproveitem que o mês de Abril começa na próxima semana para retomar o controle. Nesta semana, tome algumas medidas como teste, de forma a se organizar, para a partir da próxima você ter total noção de onde (e como) está gastando seu dinheiro.

A lição de casa de vocês para hoje é muito simples, e está no fim deste post.

1) Nunca gaste mais do que você ganha.

Esta pode parecer a dica mais estúpida, de tão óbvia, mas ainda assim MUITAS pessoas perdem o controle. Geralmente, isto está associado a gastos impulsivos (ou não) com cartões de crédito e débito, compras parceladas e contas em débito automático.

A cada mês, a diferença entre o que você ganha e o que você gasta se transforma em poupança (se positiva) ou dívidas (se negativa). Portanto, é sempre melhor tentar fazer com que esta subtração seja positiva.

Para ajudá-lo nesta tarefa, eu preparei uma tabelinha, que você verá a seguir. Antes, porém, você precisa ler a próxima dica.

2) Priorize os gastos.

Veja tudo com o que você costuma gastar, e dê prioridades a cada despesa. Gosto de separá-las em: PRIMORDIAIS, MUITO IMPORTANTES, IMPORTANTES e SUPÉRFLUAS.

Alimentação, por exemplo, é primordial. Mas quanto você gasta para comer a cada dia depende de quanto você pode gastar. (Exemplo: um restaurante mais caro pode ser luxo – e deve ser encarado como lazer).

Habitação também é importante, e uma decisão de longo prazo – você não consegue se mudar de um dia para o outro. Eletricidade, água, gás, etc…

E assim por diante.

Uma forma mais prática de estimar quanto você costuma gastar com cada item é verificar a peridicidade e o gasto individual.

Exemplo: Refeições fora de casa.

Frequência: De 2a a 6a.

Gasto médio: R$15.

Gasto mensal: Aprox 22 dias por mês, R$15 por dia: 22 x 15 = R$330.

3) Programe os pagamentos para quando você tem dinheiro.

Os pagamentos mais importantes, como luz, água, internet, celular, contas de cartões, etc, devem ser programados para quando você tem dinheiro na conta. Se você trabalha e recebe todo dia 5, por exemplo, agende a maior parte dos pagamentos para perto do dia 10. Assim, você evita problemas em caso de possíveis atrasos e não passa o mês desesperado, correndo atrás das suas finanças. O débito automático evita esquecimentos, mas também pode te levar a perder o controle de quanto gastou em cada conta. Pondere e decida se vale a pena!

Portanto, de hoje para amanhã quero que vocês montem uma tabela igual a abaixo, com as expectativas de gastos de vocês em cada área e a receita. Uma economia/poupança de 5% é o mínimo que eu espero de vocês! 😀 E recomendo ao menos 5% de “outros”, que podem incluir aleatoriedades não diretamente relacionadas a nenhuma outra categoria – para imprevistos. Faça a mão, não tem problema. O importante é que o total de gastos seja inferior ao total de receitas!

Na minha classificação, usei estas categorias:

Alimentação: Alimentação fora do domicílio.
Lazer: Festas, bares, cinemas, viagens, etc.
Transporte: Metrô, ônibus, combustível, pedágios e outros gastos de transporte (ex viagens de lazer).
Saúde: Academia, remédios, plano de saúde, etc.
Casa: Supermercado, aluguel, condomínio, contas de água, luz, internet, telefone, reformas, etc.
Educação: Gastos com educação, cursos, material didático, viagens com fins estudantis, etc.
Vestuário: Compras de roupas, calçados, etc.
Outros: Presentes, gastos extras, etc.

Talvez, a alguns, a forma que eu classifiquei não faça sentido. Não tem problema, construa a melhor forma de elencar e classificar os gastos PARA VOCÊ. A intenção é que, ao longo dos meses (após 2 meses já é possível ter uma fotografia interessante) você possa observar se suas estimativas estavam coerentes ou não, readaptá-las e ter o total controle das finanças, ok? Mãos a obra!

Etiquetado , , , , , , , ,